Goiânia, 19/01/22
Tribuna Livre Goiás
CIDADES · 16/09/2019

Segunda barragem é aberta em Santo Antônio de Goiás para evitar rodízio de água em Goiânia

Objetivo é manter vazão do Rio Meia Ponte acima de 1.500 litros por segundo para evitar racionamento de água na região metropolitana da capital. Ação integra o plano emergencial adotado pelo Governo de Goiás para enfrentar a crise hídrica


Reprodução/Governo de Goiás

Por Thyélen Lorruama

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), abriu nesta segunda-feira (16/9) a segunda barragem em Santo Antônio de Goiás, para ajudar na vazão do Rio Meia Ponte, que abastece Goiânia e a região metropolitana. O objetivo é manter vazão do rio acima de 1.500 litros por segundo e evitar racionamento de água

O barramento cedido tem volume acumulado de 3,5 milhões de m³ e fica na Fazenda Amaralina, em Santo Antônio de Goiás,a 30 quilômetros de Goiânia, próximo à Fazendo Mamoa, que cedeu a primeira represa aberta na quinta-feira (12/09) pelo governador Ronaldo Caiado (DEM)

Essas ações integram o plano emergencial adotado pelo Governo de Goiás para enfrentar a crise hídrica, que obrigou a redução nas outorgas de captação em 50% e a restrição nos horários de irrigação nas propriedades ao longo da Bacia do Meia Ponte.

O objetivo do governo é manter a vazão do rio acima de 1.500 litros por segundo e evitar o racionamento de água na região metropolitana de Goiânia. A média registrada no domingo foi de 2.122 litros por segundo.

Racionamento de água

Na última sexta-feira (13/09), foi aprovado pelo Conselho Regulador da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR), do Governo de Goiás, a proposta da Saneago para implementar os Planos de Racionamento de Água em seis municípios abastecidos pela Bacia do Rio Meia Ponte, sendo eles: Damolândia, Nerópolis, Ouro Verde, Itauçu, Brazabrantes e Inhumas.

A apresentação dos Planos de Racionamento dos municípios, acima da captação do Rio Meio Ponte em Goiânia, é uma exigência do Comitê de Bacia Hidrográfica do Meia Ponte.

As medidas do plano poderão ser adotadas em Goiânia e nos demais municípios durante o período de seca que provoca situação de emergência hídrica na Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte. A reunião do Conselho Regulador foi presidida pelo presidente da AGR, Eurípedes Barsanulfo da Fonseca.


Tags: rio meia ponte vazão crise hídrica governo de goiás represas santo antônio de goiás racionamento de água