Goiânia, 05/12/21
Tribuna Livre Goiás
CINEMA · 24/09/2019

Até o fim de setembro, 30% das salas de cinema devem ter equipamentos para pessoas surdas e cegas

Segundo Instrução Normativa da Agência Nacional do Cinema (Ancine), até 2020, todas as salas de cinema do país devem ser acessíveis


Reprodução

Por Thyélen Lorruama

Até o fim deste mês de setembro, 30% dos cinemas com até 20 salas deverão ter equipamentos de acessibilidade para pessoas surdas e para pessoas cegas nos filmes em cartaz. Para os cinemas com mais de 20 salas, o número é um pouco maior; 35% delas devem estra adaptadas. 

De acordo com Instrução Normativa da Agência Nacional do Cinema (Ancine), até o próximo ano, sob pena de multa, todas as salas de cinema do país devem ser acessíveis. Conforme a agência reguladora, as metas serão definidas com base no número de salas dos exibidores, independente da cidade ou região do Brasil. 

O mercado oferece mais de um tipo de tecnologia para equipar as salas de cinema para acessibilidade. No caso dos surdos, a maior dificuldade está nos filmes brasileiros sem legenda, descrição de sons ou janelas no canto da tela com intérpretes que façam a tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Já no caso dos cegos, é necessário o uso de aparelhos sonoros que recebam sinais via FM ou Wi-fi com audiodescrições, narrações que descrevam paisagens, cenários e situações do filme, além de expressões e até o estado emocional das personagens que compõem a cena.

*Com informações da Agência Brasil


Tags: salas de cinema acessibilidade surdos e cegos ancine novas regras