Goiânia, 19/01/22
Tribuna Livre Goiás
AGRONEGÓCIO · 29/10/2019

Pecuaristas devem informar coordenadas geográficas das propriedades rurais à Agrodefesa

A medida é obrigatória e faz parte do conjunto de exigências do Ministério da Agricultura


Reprodução

Por Redação Tribuna Livre

Os pecuaristas que ainda não cadastraram as informações sobre as coordenadas geográficas (ponto de localização) da sede de suas propriedades precisam adotar essa providência rapidamente, alerta o Governo de Goiás por meio da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa). A medida é obrigatória e faz parte do conjunto de exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, previstas no Plano Estratégico do Programa Nacional de Prevenção e Erradicação da Febre Aftosa – PNEFA, para a retirada da vacina contra febre aftosa em 2021.

Os criadores já podem inserir essas informações em seus respectivos cadastros no Sistema de Defesa Agropecuária do Estado de Goiás (Sidago). A partir de 1º de novembro, quando terá início a segunda etapa de vacinação do rebanho, os pecuaristas só irão conseguir fazer a declaração de vacinação e do rebanho total após informar as coordenadas geográficas das propriedades. Como consequência, se não apresentarem a declaração de vacinação, ficarão impedidos de movimentar seus animais.

O presidente da Agrodefesa, José Essado, enfatiza que a medida é muito importante e tem como objetivo melhorar o controle zoossanitário dos rebanhos pela Defesa Sanitária Animal, uma das ações que vão contribuir para a obtenção do status de zona livre de febre aftosa sem vacinação, com reconhecimento internacional. Atualmente, 48% das propriedades que realizam atividade pecuária e constam no cadastro da Agrodefesa já estão regulares com esta informação. A meta é chegar ao fim de dezembro deste ano com 100% das propriedades com informações das coordenadas geográficas.

Como fazer

O roteiro para obter as coordenadas geográficas das sedes das propriedades rurais é muito simples. Elas devem ser buscadas no ponto de localização da sede da propriedade, no formato Latitude e Longitude (graus, minutos e segundos). Esta informação pode ser obtida in loco na propriedade, por meio de aplicativos de celular e aparelho de GPS, ou mesmo de programas/softwares como o Google Earth e o Google Maps, diretamente na Internet. Os pecuaristas também podem procurar os escritórios Regionais e Locais da Agrodefesa nos municípios onde estão as fazendas, onde terão orientação sobre como obter e informar as coordenadas geográficas.

A Gerência de Sanidade Animal recomenda aos produtores que realizam a atualização/comunicação o quanto antes, evitando transtornos e atropelos futuros para a emissão das Guias de Trânsito Animal – GTAs e consequente movimentação de animais. A Agrodefesa tem até março de 2020 para a entrega, ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), de 100% das propriedades georreferenciadas em Goiás, sendo que o Serviço Veterinário Oficial goiano passará por auditoria neste período. 


Tags: pecuaristas coordenadas geográficas propriedades rurais Agrodefesa prazo